Cachorro São Bernardo deitado na grama para representar a cardiomiopatia dilatada

Dr. Marthin Lempek

A cardiomiopatia dilatada é uma doença cardíaca que afeta os músculos do coração. Com a dilatação das quatro câmaras cardíacas, as paredes do órgão ficam mais finas, os tecidos perdem elasticidade e o miocárdio não consegue atingir a contração suficiente para o bombeamento do sangue.

Crônica e progressiva, é uma das cardiopatias mais comuns em animais, podendo levar à morte. Atinge cães e gatos, principalmente os de porte grande ou idosos.

Principais causas da cardiomiopatia dilatada

  • Predisposição genética;
  • deficiência nutricional (taurina ou carnitina);
  • doenças imunomediadas;
  • infecções virais;
  • hipotireoidismo;
  • miocardites.

Raças mais afetadas:

  • São Bernardo;
  • Doberman;
  • Irish Wolfhound;
  • Pastores Ingleses;
  • Scottish deerhounds;
  • Boxer;
  • Old English Sheepdog.

Sinais de cardiomiopatia

  • Arritmia;
  • perda de peso;
  • taquicardia;
  • palidez.

A diminuição no fluxo sanguíneo ocasionada pela doença leva a:

  • Desmaios;
  • fraqueza.

A deficiência do ventrículo direito, responsável por levar o sangue do resto do corpo aos pulmões, causa:

  • retenção de líquido no abdômen, tórax, pleura ou pericárdio, levando ao aumento de peso;
  • tosse;
  • dificuldade respiratórias.

Os sinais do déficit do ventrículo esquerdo, que bombeia o sangue do pulmão para o resto do corpo são:

  • Edema pulmonar;
  • taquipneia;
  • dispneia.

Algumas complicações da cardiomiopatia

Diagnóstico

  • auscultação;
  • ecocardiograma, ultrassonografia do coração: mais indicado para a doença, pela precisão na identificação de alterações no fluxo sanguíneo e batimentos.

A cardiomiopatia dilatada tem cura?

Não. Por se tratar de enfermidade progressiva, o tratamento para cardiomiopatia visa evitar sua evolução e controlar os sintomas mais severos.

Regular os batimentos cardíacos é o principal objetivo do tratamento. A prescrição de medicamentos depende do quadro do animal.

  • Furosemida: ajuda a diminuir a retenção de líquido.
  • Procainamida e Mexiletina: para arritmia.
  • Pimobendam, Dobutamina, Amrinone, Milrinone: aumentam a capacidade de contração cardíaca.
  • Suplementos de carnitina: a deficiência em tal vitamina é associada ao desenvolvimento de cardiomiopatia dilatada, principalmente em Boxers
  • Suplementos de taurina: a deficiência de taurina é apontada como uma das principais causas da doenças em gatos. Também se relaciona com o surgimento da cardiomiopatia dilatada em cães, particularmente da raça Cocker Spaniels.

Gostou do texto? Visite a editoria Saúde do Animal e saiba como manter a saúde do seu melhor amigo. Nossos veterinários e especialistas têm muito para contribuir. Acesse, também, nosso Facebook, Instagram e Twitter para ficar por dentro de tudo sobre o universo pet.