Médica examinando um menino para ver se ele tem caxumba

Dra. Glória Braga

A caxumba, ou parotidite, é uma doença contagiosa caracterizada pela inflamação das glândulas salivares, principalmente das parótidas. Ela pode afetar pessoas de todas as idades, mas é mais comum em crianças e adolescentes.

Os pacientes apresentam um inchaço abaixo da orelha e na região da mandíbula, que pode ser acompanhado de febre e outros sintomas gerais.

Apesar de existir uma vacina contra a doença, epidemias têm surgido em todo mundo, afetando principalmente pessoas não vacinadas, mas também algumas que receberam as duas doses recomendadas da vacina.

Os pacientes com caxumba geralmente se recuperam após duas semanas. Porém, podem ocorrer algumas complicações graves.

Transmissão da caxumba

A doença é causada por um paramixovírus, transmitido através de gotículas de saliva no ar ou em objetos contaminados. Tossir, espirrar ou mesmo conversar com uma pessoa contaminada pode levar à infecção.

O vírus se multiplica e espalha no organismo durante um período de 16 a 18 dias, quando então começam a aparecer os primeiros sinais e sintomas.

Quadro clínico

A caxumba se apresenta com um inchaço abaixo da orelha que piora progressivamente nos primeiros dias, podendo se espalhar até a mandíbula.

Podem ocorrer sintomas gerais como:

  • febre;
  • dor de cabeça;
  • apatia;
  • falta de apetite;
  • dor ao mastigar e engolir;
  • dores musculares.

O quadro dura em torno de duas semanas e o paciente se recupera completamente. Em alguns casos, porém, podem ocorrer complicações.

Complicações da caxumba

Especialmente nos adultos, a caxumba pode se complicar com inflamações de outros órgãos, como:

  • Testículos;
  • Ovários;
  • Pâncreas;
  • Rins;
  • Cérebro;
  • Meninges.

A encefalite e a meningite são as complicações mais graves da caxumba. Podem ocorrer convulsões, paralisia e, raramente, óbito.

A surdez causada pela caxumba é rara e geralmente transitória, mas algumas crianças podem perder definitivamente a audição.

A infecção pelo vírus da caxumba durante o primeiro trimestre da gravidez pode levar ao aborto espontâneo.

Prevenção da caxumba

A caxumba pode ser prevenida pela vacinação. A vacina Tríplice viral protege contra sarampo, caxumba e rubéola, enquanto a vacina Tetra viral adiciona a proteção contra a varicela (catapora). O Ministério da Saúde recomenda a aplicação da Tríplice aos 12 meses de idade e, aos 15 meses, mais uma dose da Tríplice ou a Tetra viral.

A vacina é 88% eficaz quando aplicadas as duas doses e 78% eficaz quando a criança recebe apenas uma dose. A duração da imunidade pela caxumba é variável, o que pode explicar a ocorrência da doença mesmo em pessoas vacinadas.

Nos Estados Unidos, o CDC (Center for Disease Control) recomenda a aplicação de uma terceira dose da vacina para pessoas de risco, durante uma epidemia de caxumba.

Tratamento

Não existe tratamento específico para a caxumba, que geralmente melhora após duas semanas. Os sintomas podem ser aliviados com antitérmicos e analgésicos.

O paciente deve permanecer isolado para evitar o contágio de outras pessoas.

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.