Close de um olho castanho para representar a ceratocone

Dra. Fabiana de Pinho

O Ceratocone é uma doença ocular progressiva em que a córnea fica mais fina e se projeta para a frente, passando a ter o formato semelhante a um cone.

Tais alterações podem provocar sintomas como visão embaçada e fotofobia (sensibilidade à luz), e o surgimento de problemas oculares como a miopia e o astigmatismo. Normalmente, afeta ambos os olhos e começa aparecem na pré-adolescência, progredindo lentamente pelos próximos 10 anos ou mais.

Causas

Não se sabe, ainda, a causa exata do ceratocone, embora fatores genéticos e comportamentais podem ser considerados fatores de risco. Algumas possíveis razões para o surgimento da distrofia contínua e progressiva são:

  • esfregar e/ou coçar os olhos vigorosamente;
  • possuir certas condições como retinite pigmentar, rinite alérgica (e/ou outras alergias), síndrome de Down, síndrome de Ehlers-Danlos, febre do feno, asma etc.

São sintomas de ceratocone:

Sinais e sintomas de ceratocone podem mudar à medida que a doença progride. Eles incluem:

  • visão turva e/ou distorcida (no estágio inicial, podem ser corrigidas com o uso de óculos);
  • maior sensibilidade à luz (fotofobia);
  • piora dos quadros de miopia e astigmatismo com a progressão da doença (inicialmente podem ser corrigidos com o uso de lentes de contato).

Complicações:

  • dificuldade e/ou intolerância a lentes de contato, (dificulta a correção da miopia e astigmatismo);
  • hidropsia (rompimento da camada mais profunda da córnea, que permite a entrada de líquido. Ocorre edema da córnea, diminuição da visão e dor);
  • aparecimento de cicatrizes na córnea que podem provocar perda definitiva da visão.

Diagnóstico

Para diagnosticar o ceratocone são necessários alguns exames complementares:

  • Topografia de córnea: com ele, é possível analisar o relevo da córnea. As curvaturas estão aumentadas e o relevo é irregular nos pacientes com ceratocone;
  • Paquimetria ultrassônica: sua função é medir a espessura da córnea. Em pacientes com ceratocone, ela se encontra mais fina.
  • Tomografia de Córnea: analisa as superfícies anterior e posterior da córnea, além de mapear a sua espessura. É considerado o exame mais preciso para a avaliação do ceratocone.

Ceratocone tem cura?

Não existe cura para o ceratocone. Nos casos mais iniciais, o uso de óculos e/ou lentes de contatos é o suficiente para corrigir a visão.
Com a progressão da doença, torna-se muitas vezes impossível continuar a usar as lentes de contato. Esses casos podem necessitar de intervenção cirúrgica:

  • Implante de anel corneano: reduz a curvatura da córnea e, em alguns casos, diminui a velocidade de progressão do ceratocone.
  • Crosslinking: utiliza riboflavina (colírio) e luz ultravioleta para fortalecer o colágeno presente na córnea e evitar a progressão da doença.
  • Transplante de córnea: substitui a córnea afetada por uma saudável, fornecida por um doador.

Acompanhamento

Um paciente com ceratocone precisa ser avaliado periodicamente, por meio de consultas oftalmológicas e exames complementares que ajudarão o profissional a acompanhar a evolução do quadro.

Gostou do Texto? Para ler mais conteúdos como esse, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)!