Mulher segurando a pata do seu cachorro ao ar livre enquanto faz um sinal com a outra mão indicando a comunicação entre pet e dono

Bruna Braccini

Você considera sua comunicação com seu pet realmente eficiente? Sabe como falar com o seu cachorro de forma que ele entenda o que é certo ou errado para você, assim como as regras da casa e dos passeios, de maneira tranquila e sem stress?

Comunicar-se bem com o seu peludo é um dos principais pontos para que haja uma relação equilibrada entre vocês.

Mas… como falar com o seu cachorro do jeito certo?

Para construir essa comunicação, o primeiro passo é ter as regras de convivência bastante claras. Definir o que pode e o que não pode, com todos da família e, de preferência, antes da chegada do cachorro, é bastante importante.

Feito isso, o próximo desafio é entender como deixar as regras para o cão claras

Os cães compreendem, com maior precisão, palavras ou sons e nossa linguagem corporal. Aprendem por condicionamento e repetição, levando-se em conta que um comportamento recompensado aumenta de frequência, enquanto um ignorado, diminui.
Ciente disso, você precisa escolher palavras objetivas, simples e claras para se comunicar com ele, assim como a linguagem corporal que irá usar.

Quando se tratar de um comportamento aprovado por você, elogie-o bastante. Use palavras como “muito bem”, “bom garoto” e “parabéns”. Recompense-o também com uma linguagem corporal que indique aprovação, fazendo carinho, podendo dar-lhe um petisco, em seguida.

E em casos de má conduta?

Quando se tratar de um mau comportamento, reprovado por você, lembre-se: um comportamento ignorado diminui de frequência. Para ignorar um mau comportamento, use sua linguagem corporal, cortando sua comunicação com o cão, de maneira clara, tanto visual, quanto verbal. Retire-se do ambiente, se preciso. Isso funciona para quando o filhote faz as necessidades no lugar errado ou quando um cão está demasiadamente ansioso, pulando demais em você, por exemplo.

Outras formas de lidar com um mau comportamento são:

  • Antecipando-o, evitando que aconteça ou, ainda, redirecionando-o para um bom comportamento, da maneira neutra e sem broncas: por exemplo, no caso de um cãozinho que está mordendo suas mãos, tenha um brinquedo dele ao alcance e incentive-o a trocar as mãos pelo brinquedo, mudando o foco e recompensando o comportamento desejado, em seguida.
  • Usar marcadores negativos: falar “não”, ou “ahn ahn”, pode ser bastante útil para mostrar ao cão sua insatisfação com um comportamento e dar a oportunidade de interrompê-lo. Contudo, por outro lado, você não estará ensinando o certo, nem ignorando o comportamento errado para que possa diminuir de frequência, estará apenas pedindo que o cão pare com o errado. Use com moderação!
  • Exercitar a comunicação com seu cão: este deve ser um exercício diário, já que os cães aprendem por condicionamento e repetição. Quanto mais você se comunicar com ele, mais eficiente será o entendimento entre vocês. Comece treinando em casa, para depois treinar na rua ou em ambientes com mais distrações.Se você quer passeios tranquilos, exercite bastante a comunicação nesses momentos. De nada adianta querer que seu cachorro entenda o que você espera dele, apenas quando aparece um super estímulo, ao qual ele reage latindo.

    Ou seja, não adianta querer que seu cãozinho escute você pedindo para que ele se sente e permaneça tranquilo, diante de um outro cão.

Fica claro que precisamos ser objetivos e consistentes na hora de entender como falar com o seu cachorro, principalmente se quisermos ser compreendidos.

De nada adianta frases longas e cheias de detalhes, como: “Por que você fez xixi em cima da cama? Eu já não te falei que isso é errado? Agora vai ficar de castigo para aprender!”. Ou ainda: “Pare de pular em mim, já te falei que não gosto! Senta agora! Vamos, senta!!”.

Ao dizer tudo isso, você acaba recompensando comportamentos ruins, dando atenção ao cão quando fala bastante com ele. Está lembrado que um comportamento recompensado, aumenta de frequência? Pois é!

Gostou do texto? Visite a editoria Saúde do Animal e saiba como manter a saúde do seu melhor amigo. Nossos veterinários e especialistas têm muito para contribuir. Acesse, também, nosso Facebook, Instagram e Twitter para ficar por dentro de tudo sobre o universo pet.