mulher setada de pernas cruzadas ao ar livre praticando o detox emocional

Dra. Daniela Lizia

A gente faz desintoxicação do corpo com os sucos, do espírito com retiros e por aí vai. Mas… e o detox emocional, ou das emoções? Foi pensando nisso que hoje proponho uma semana de higiene mental para ganhar qualidade de vida e renovar a alegria de viver. Aceita? Vamos lá!

Semana do detox emocional

Dia 1: Lugar de passado é no museu

Veja se já se pegou argumentando:

“Sou assim desde criança.
Fui criado para isso.
Lá em casa era assim e me influenciou a agir desse jeito hoje em dia.
Tem a ver como como meu pai me tratou, ou, tem a ver com como minha mãe lidava comigo…”

Wow! Quanto medo, insegurança, preocupação e rigidez vindo daí, não?

Então pensa um pouco: alguma âncora está te ligando ao passado?

Se sim, tenho alguns pontos pra você adicionar ao seu repertório e praticar um detox emocional de respeito:

  • em primeiro lugar, seu campo de AÇÃO é no presente;
  • em segundo, você não é mais aquela pessoa que adquiriu toda essa bagagem lá atrás. Olhe suas fotos, veja como está  diferente… por fora e por dentro!;
  • em terceiro, você já teve aquisição de muito mais informações, comportamentos e capacidade de respostas desde então;
  • e, por fim, no tempo passado seu repertório era bem menor. Hoje, sua capacidade emocional está ampliada e você deve tirar proveito disso!

Infância é um espaço onde agimos pelas emoções e sem entender como elas funcionam exatamente. A fase adulta é quando tomamos as emoções pelas rédeas e nos valemos desse leque para respondermos ao mundo e a nós mesmos.

E agora o melhor: uma chave de saída!

Pergunte-se, por exemplo: “Como meus pais me tratavam e como tratavam um ao outro?”.

Se você conseguir entender alguns desses “porquês”, pode caminhar para o autoperdão, para a aceitação das pessoas como são e, claro, para o detox emocional.

Além do mais, quer ver só como você mesmo muda?

Lembra daquela resposta à uma questão que você viveu no passado? E que se fosse hoje você agiria muuuito diferente? Então, passado é passado. Deixe ele lá e aprenda com ela agora. Viva o presente!

Dia 2: Nunca cultive as minhocas da sua cabeça 

E esse diálogo interior, que questiona sempre suas próprias decisões, que tenta entender por que alguém agiu de forma X ou Y com você, e por aí vai? O que isso muda realmente na sua vida?

Nada, não é mesmo? Esse tipo de ruminação não tem poder de ação.

Então, esses pensamentos são inúteis! Os outros são os outros que, assim como você, adquiriram valores e comportamentos que não tem como explicar. Por isso, as experiências deles são diferentes da suas.

Preocupando-se com atitudes alheias só faz com que você crie problemas para si próprio. A boa notícia é que, na maioria das vezes, seu diálogo interior está baseado em pensamentos e, BINGO! PENSAMENTOS PODEM SER MODIFICADOS.

Essa é a base do detox emocional.

Dia 3: defenda-se e largue mão de julgar os outros que nem um “reizinho” 

Hoje a dica é um papo reto: fale mais abertamente sobre seus sentimentos, defenda-se amorosamente e, sobretudo, deixe de julgar os outros.

Já percebeu o quão duro você pode ser consigo mesmo? Quando não estamos nos martirizando, estamos culpando os outros pelos nossos problemas.

Então, responsabilize-se pelas suas escolhas

E quando alguém te magoar, fale pra essa pessoa como se sente. Bem assim ó: “Me sinto magoado”. Bem empoderado da sua emoção, querendo se fazer entender, e não: “VOCÊ me magoou”. Afinal, quem fala assim é dodói-vitimizado. Solta isso aí, gente.

Colocar-se com verdade e honestidade cria um maravilhoso senso de empatia. Você vai ganhar muitos pontos inter e intrapessoais, especialmente durante esse detox emocional, pode apostar!

Dia 4: você é original de fábrica!

Exercício do dia (aliás, de todos os dias): importe-se mais com você do que com as opiniões dos outros. Isso de se comparar é um jogo que você sempre vai perder.

Agora, se inspirar em alguém está valendo! Fulano é supersimpático e isso te chama a atenção? Foque em desenvolver, também, sua comunicabilidade e interpessoalidade! E faz do seu jeitão, no seu ritmo, no seu tom.

Larga disso de ser cópia mal feita, gente. O negócio é ser a versão original que você pode e merece ser!

Mas, pra isso, é fundamental que você escolha sair da zona de conforto: pare de reclamar e comece. Se quer mudança na sua vida, faça ela acontecer.

Mudanças de hábitos são plantas que precisam de água todos os dias. Plante-se e floresça!

Dia 5: Às vezes, um ‘não’ é tão útil quanto um ‘sim’

Respeito por si mesmo passa por um caminho: o de impor limites. Ah, e não deixe ninguém ultrapassá-los: sogras, chefes, filhos etc.

Porém, você não tem que ser bonzinho sempre. Não há problema em dizer não. E o melhor truque de todos: aprenda a negociar. Seja um mestre da conciliação e garanta o espaço e tempo que precisa para si.

Dia 6: detox emocional = FOCO

Que tal experimentar ser menos rígido? Pode mudar, re-mudar, re-pensar! No entanto, por favor, tente fazer O MELHOR todos os dias. O tempo voa e procrastinar puxa você pra trás.

O momento certo é a cada dia. Tente novos hábitos. Se eduque.

Eu tenho um convite pra você: defina dois pequenos objetivos por dia e, ao final deste, verifique o resultado.

Celebre o que conquistar. Ajuste as velas se precisar corrigir e tentar de novo. Navegar é preciso, né?

Dia 7: celebre

Aprecie a experiência que aparece depois de todo problema. Há um lado incrível em tudo.

Lembra quando você terminou o primeiro namoro e achou que o mundo ia cair? Pois é…ele não caiu e você amadureceu, aprendeu, sobreviveu e viveu tantos outros amores e tantas outras dores. Ah… o maravilhoso ciclo da vida!

Celebre…mais que as chegadas: a jornada!

Dia 8: e, por fim…

Deixa pra lá! Sabe quando você tem uma expectativa enorme de que algo aconteça? Faça o que estiver ao seu alcance e depois deixe o resto acontecer, confiando no fluxo da vida. Quando você respira, não fica o tempo todo se perguntando: “ai..ai..ai…de onde virá minha próxima inspiração. Ai ai ai…pra onde vou expelir minha expiração”.

Você se movimenta e o universo garante. Que tal acreditar que você merece?

Aliás, falando em merecimento: por favor, seja seu próprio amigo, e não sua tormenta. Você não consegue influenciar tudo, confie que você merece atenção, carinho e se dê isso. Você não pode pedir pro outro aquilo que não tem para dar e não se dá.

Se vier um pensamento ruminativo, troque por este: “Eu me amparo, a vida me ampara. Eu confio no processo da vida. Tudo está funcionando para meu mais alto bem.”

E um bom detox emocional a todos!

Com amor,

Daniela Lízia.

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.