Close de rosto de uma mulher deitada em uma cama com uma médica aplicando uma injeção em seu rosto para realizar a harmonização facial

Dra. Adriana Bonfioli

Você sabia que nosso cérebro “considera belo” aquilo que tem simetria e harmonia? E isso não sou eu quem está afirmando, mas sim grandes pensadores como Platão e Aristóteles. Acontece que ambos perceberam que todas as coisas belas nesse mundo, do ponto de vista da maioria das pessoas, tinham uma coisa em comum: equilíbrio entre suas partes.

Tendo isso como base, não é de se admirar que o Cristo Redentor, o Taj Mahal e a Muralha da China, por exemplo, são considerados “maravilhas do mundo”. Isso sem falar nas atrizes Audrey Hepburn, Lupita Nyong’o e Taís Araújo que, sem a menor sombra de dúvidas, são tidas como referência de beleza no século 20.

Isso quer dizer que, basicamente, quanto mais perto do “perfeito” uma coisa ou pessoa estiver, maiores são as chances desta ser julgada como “beldade”. E é aí, meus caros, que a harmonização facial, nosso tema de hoje, entra!

O que é harmonização facial?

É um procedimento que combina diversas técnicas cirúrgicas (a maioria pouco invasiva) para aprimorar a simetria e harmonia da face.

Cada opção é levada em conta de acordo com a idade e tipo de pele do paciente, assim, claro, como os efeitos desejados por este.

Para quem ela é indicada?

A harmonização facial é um método excelente para qualquer pessoa que deseja ter o rosto coeso de um jeito mais simples e rápido. Pensando nisso, aí vai uma lista de coisas que esse procedimento pode fazer por você:

  • reduzir: olheira, rugas e linhas de expressão;
  • aumentar os lábios;
  • definir a mandíbula;
  • mudar os traços do nariz sutilmente;
  • aumentar, ou reduzir, regiões da face como testa e queixo.

Atenção: pacientes com flacidez extrema no rosto, assim como aqueles que possuam complicações sérias de saúde, não são aptos a fazerem harmonização facial.

Tipos de tratamentos

As opções de tratamento que compõem esse procedimento podem incluir:

  • toxina botulínica: é aplicada em diversos pontos da face, e causa paralisia no músculo (somente onde foi injetada) Isso faz com que as rugas e linhas de expressão fiquem mais discretas, ou até mesmo sumam.
  • preenchimento: é feito com ácido hialurônico, uma substância volátil que atende a diversas necessidades. Com ele, para se ter ideia, é possível recuperar o volume das bochechas e lábios, e tratar sulcos como olheiras, bigode chinês etc.
  • implantes: feitos de material biocompatível, eles costumam ser usados para dar volume, ou até mesmo modificar o contorno da face. Por isso, são mais comumente usados na região das bochechas e linha da mandíbula.
  • fios de sustentação: também feitos de material biocompatível, eles estimulam a produção de colágeno da pele, fazendo com que ela fique mais firme e vistosa. Podem ser aplicados no pescoço e na face.
  • cirurgia plástica: durante a harmonização facial, podem ser feitos procedimentos mais invasivos, porém eficazes, como blefaroplastia, lifting facial, bichectomia e até mesmo lipoaspiração.

Qual procedimento escolher?

Por terem indicações específicas, somente o seu médico poderá dizer qual combinação é melhor para você, sua saúde e, claro, beleza. Por isso, não hesite em procurar por profissionais capacitados e de confiança. Afinal, é do seu rosto que estamos falando!

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.