Close de homem ao ar livre segurando o cotovelo sinalizado de vermelho por estar com uma dor proveniente da síndrome do túnel cubital

Dr. Emerson Fidelis

O tema do nosso bate-papo de hoje é bastante conhecido por todos nós: a dor de cotovelo. Brincadeiras à parte, esse sintoma, na verdade, faz parte de um dos quadros clínicos mais comuns da atualidade e, por isso, merece nossa atenção: a síndrome do túnel cubital.

Além disso, o cotovelo é uma região do corpo repleta de estruturas essenciais para a mobilidade dos braços e, claro, para nossa qualidade de vida de um modo geral. Afinal, a maioria dos movimentos que executamos no dia-a-dia dependem dele.

Pensando nisso, preparamos esse artigo com tudo que você precisa saber sobre essa síndrome, desde as causas até tratamentos e prevenção. Vamos lá?

Afinal: o que é a síndrome do túnel cubital?

É um quadro clínico causado pela compressão/inflamação do nervo ulnar, um dos três principais nervos do braço. Ele viaja do pescoço para as mãos e, por isso, pode ser comprimido em vários lugares diferentes ao longo desse percurso, como abaixo da clavícula ou no pulso.

Contudo, o local mais comum para a compressão deste nervo é atrás da parte interna do cotovelo. Quando isso acontece, o paciente é diagnosticado com síndrome do túnel cubital.

Sintomas

A síndrome do túnel cubital é caracterizada pela dor na região interna do cotovelo. Contudo, vale ressaltar que a maioria dos sintomas ocorre, na verdade, na sua mão. São eles:

  • Dormência e formigamento nos dedos anelar e mínimo (mindinho): acontecem com mais frequência quando o cotovelo está dobrado, como quando dirigimos ou seguramos o telefone.
  • Enfraquecimento no punho e dificuldade de coordenação dos dedos: como digitar, manusear um objeto ou tocar algum instrumento.
  • Perda de massa muscular na mão: ocorre principalmente quando o nervo está muito comprimido, ou comprimido por MUITO tempo. Quando isso acontece, a perda de massa não pode ser revertida. Por isso, é importante consultar um médico se os sintomas forem graves, ou perdurarem por mais de 6 semanas.

Por fim: a síndrome do túnel cubital tem cura?

O tratamento para esse quadro clínico depende de vários fatores que precisam ser estudados pelo seu médico. São algumas das opções mais comuns para lidar com essa síndrome:

1. Tratamentos não-cirúrgicos:

  • prescrição de anti-inflamatórios;
  • uso de órtese ou tala;
  • fisioterapia

2. Tratamentos cirúrgicos

Existem alguns procedimentos cirúrgicos que aliviam a pressão no nervo ulnar no cotovelo. O cirurgião ortopédico estudará qual será a melhor opção para o seu caso, então pode ficar tranquilo.

São algumas das cirurgias mais comuns:

  • liberação do túnel cubital: Nesta operação, o ligamento do túnel cubital é cortado e dividido. Isso aumenta o tamanho do túnel e, portanto, diminui a pressão sobre o
    nervo. Após o procedimento, o ligamento começa a curar e um novo tecido cresce em toda a divisão. O novo crescimento cura o ligamento e permite mais espaço para o nervo ulnar deslizar.
  • transposição anterior do nervo ulnar: em muitos casos, o nervo precisa ser movido para um novo local, impedindo que ele fique preso na crista óssea e se estique ao dobrar o cotovelo.
  • epicondilectomia medial: outra opção para liberar o nervo é remover parte do epicôndilo medial (localizado na extremidade do úmero, que fica próximo à ulna). Como a transposição do nervo ulnar, essa técnica também evita que o nervo fique preso na crista óssea e se estique quando o cotovelo estiver dobrado.

Gostou do Texto? Para ler mais conteúdos como esse, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)!