Garoto com a mão no pescoço indicando torcicolo olhando para um médica que está com um modelo de uma coluna apontando para as vertebras da região do pescoço

Dra. Gloria Braga

O torcicolo é bastante comum em crianças e adolescentes e está associado principalmente a duas atividades que estão entre as prediletas dessa faixa etária: esportes e uso de dispositivos eletrônicos.

Na maioria das vezes, ele se resolve completamente em um ou dois dias, sem maiores preocupações. Porém, se a dor no pescoço vier acompanhada de outros sintomas como febre e dor de cabeça, isso pode significar uma doença mais séria, como a meningite.

Sintomas do torcicolo

  • Dor no pescoço;
  • dor ao mexer a cabeça;
  • impossibilidade de encostar o queixo nos ombros e/ou no peito;
  • tensão e rigidez na região do pescoço, dos ombros e das costas;
  • dor de cabeça.

Causas mais comuns

Traumáticas

  • Postura inadequada: o uso de celulares e outros dispositivos eletrônicos é a causa mais frequente de torcicolo na infância e na adolescência. Geralmente, a criança fica em uma posição inadequada, com a cabeça pendendo para frente, o que causa um estresse nos músculos posteriores do pescoço;
  • Traumas durante os esportes: pode ocorrer subluxação ou fratura das vértebras da coluna e compressão da medula. Uma criança que sofre uma colisão, ou queda com trauma do pescoço, deve ser imobilizada e levada para uma avaliação de urgência;
  • Sobrecarga de peso, como carregar uma mochila pesada;
  • Movimentos bruscos do pescoço durante brincadeiras e esportes;
  • Uso de travesseiro de espessura inadequada.

Infecciosas

  • Infecção do trato respiratório superior: uma sub luxação espontânea pode ocorrer em crianças, geralmente entre 6 e 12 anos de idade;
  • meningite;
  • inflamação dos gânglios do pescoço (adenopatia cervical);
  • pneumonia;
  • tuberculose;
  • osteomielite.

Congênitas

  • Estiramento do músculo esternocleidomastoideo: mais comum em partos pélvicos e a fórceps;
  • anomalias vertebrais.

Neurológicas

  • Poliomielite;
  • distonia muscular deformante;
  • kernicterus;
  • coréia de Huntington;
  • doença de Wilson.

Outras causas

  • Miosite;
  • artrite reumatóide juvenil;
  • espasmo nutante;
  • torcicolo paroxístico;
  • esofagite de refluxo;
  • tumores.

Diagnóstico do torcicolo

O diagnóstico do torcicolo pode envolver especialidades como a ortopedia, reumatologia e neurologia. A radiografia cervical é o exame mais comum, porém, a tomografia computadorizada pode ser solicitada em alguns casos.

IMPORTANTE!

Procure atendimento médico imediato nas seguintes situações:

  • a criança sofreu traumatismo que atingiu o pescoço ou a coluna;
  • o torcicolo tem mais de dois dias de duração;
  • os movimentos da criança estão comprometidos;
  • o torcicolo é acompanhado de febre, dor de cabeça, fotofobia ou enjôo.

Tratamento do torcicolo

O torcicolo, na maioria das vezes, melhora espontaneamente após um ou dois dias. Para obter alívio dos sintomas, procure:

  • aplicar compressas quentes sobre o pescoço da criança por 20 minutos a cada 3 horas;
  • dar medicamentos anti-inflamatórios (somente por prescrição médica para melhorar a dor).

Prevenção

  • use um travesseiro de espessura compatível com a idade e tamanho da criança;
  • limite o uso de computador, tablets e smartphones;
  • fique atento à postura;
  • realize alongamentos regularmente, principalmente antes das atividades físicas.

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.